Carro com mais de 100.000 Km Rodados. Posso Comprar?



Um receio muito comum de todo motorista é que conforme o carro fica mais rodado, principalmente acima dos 100.000 Km, o motor pode ter um problema grave e que, de uma hora para outra, o motor vai começar a bater e uma conta bem pesada de um serviço de retífica completa vai detonar as suas finanças.


Mas mantenha a calma, vamos falar um pouco sobre a durabilidade de um motor, e o que fazer para estender sua vida útil. Primeiro de tudo, depende da forma como o motor foi tratado ao longo de sua vida útil, por isso, a boa procedência é tudo!

Nada adianta encontrar um carro com “50 mil km rodados, único dono, e carro de mulher” se esse carro tiver pertencido a alguém que negligenciou as trocas de óleo do motor, ou ainda fez as trocas, mas usou óleo totalmente fora das especificações que o fabricante informa no manual do veículo! Acredite, isso não é tão incomum e já presenciamos muitos casos semelhantes.

Sendo assim, pesquise bem o histórico de revisões do veículo, e na dúvida, peça uma avaliação técnica feita por um bom mecânico de sua confiança. Caso feche o negócio, ao adquirir o veículo garanta sua tranquilidade antecipando a revisão.

Uma manutenção adequada é imprescindível, e isto inclui a necessidade de bons hábitos do dono do veículo. Por exemplo, quem resiste a uma promoção, não é mesmo? Andando pela cidade, percebo que basta um posto de combustível qualquer colocar um grande banner vendendo uma gasolina por poucos centavos mais barato que as filas de carro começam a aparecer em frente as bombas, com carros novinhos esperando para encherem seus tanques com um combustível de procedência duvidosa. O combustível de qualidade e de fonte confiável é fundamental para evitar problemas seja no motor, seja no sistema de injeção eletrônica.


Outras dicas parecem meio ortodoxas, mas vamos citá-las mesmo assim. Quantas vezes em um posto de gasolina o frentista quis completar a água ou óleo do seu carro? Recomendamos evitar a ajudinha. É claro que é uma boa ideia conferir se existe água no sistema de resfriamento do motor, mas isso deve ser feito com o carro ainda frio, em casa com piso nivelado. Caso esteja abaixo da marca de nível mínimo pode ser que haja um vazamento e é preferível que você peça para revisar isto em uma oficina de sua confiança e não fique completando com água da torneira. Nenhum carro de hoje em dia recomenda usar água da torneira no radiador, todos pedem água destilada com um aditivo específico. Acredite, isto vai fazer muita diferença na vida útil do motor e vai trazer paz para você e seu bolso.


A utilização periódica do veículo também é importante e contribui para evitar problemas, como a formação de borras no motor pela oxidação do óleo parado, corrosão do sistema de arrefecimento, e o ressecamento de peças flexíveis e de borracha, como mangueiras e pneus, que inclusive podem se deformar em um veículo estacionado por muito tempo.


Voltando ao assunto sobre a quilometragem de um veículo, se o Odômetro do seu carro passou dos 100.000 km, você acha que acabou o motor? Em geral, não. Se o motor foi bem cuidado, não faz barulhos estranhos e mantém um regime de rotação agradável, sem trepidações ou dificuldades de partida, a maior chance é de que ele não vai te dar dor de cabeça ainda por muito tempo.

É complicado dar um número de quilômetros que um motor vai durar e, a seguir, daremos algumas referências para que você tire suas próprias conclusões.

Vamos utilizar os Estados Unidos como referência, pois, o carro como transporte diário é muito utilizado por lá. Um americano roda com seu carro em média 15.000 milhas por ano (24.000 km) e mantém o carro por cerca de 6 anos, o que significa que o primeiro dono utiliza o carro até seus 144.000 km, e este mesmo carro continua rodando normalmente até completar pelo menos 11 anos, o que totalizaria pelo menos 264.000 km rodados!


Os regulamentos de emissões de poluentes que os fabricantes precisam atender atualmente já exigem que os valores destas emissões se mantenham dentro dos padrões obrigatórios por até 160.000 Km, ou seja, isso significa que a engenharia precisa desenvolver motores robustos, o que faz com que os fabricantes a cada geração invistam em uma qualidade de manufatura e materiais que garantam tal longevidade.

Assim, esperamos ter esclarecido que um veículo com mais de 100.000 Km rodados não necessariamente está em seu fim de vida útil e que a manutenção adequada é fundamental para aumentar a longevidade de um motor, além de evitar prejuízos com reparos corretivos ou desvalorização na hora da venda do carro.